Odu ÒDÍ – A Violência

O Odu Odi

Ôdi é um odu do oráculo de ifá, representado no merindilogun com sete conchas abertas pela natureza e nove fechadas. Nesta caída responde Exu, Ogum, Oba, Oya. Significa perigo iminente. O Babalorixa tem que levanta-se do jogo e despachar a porta da casa com água sagrada. Apesar dos problemas inerentes a esta caída, o consulente tem caminhos para ser afortunado.
Dentro da ordem de Ifá tradicional, ele é o quarto Odu, por isso ele tem uma importância muito grande porque está relacionado diretamente aos quatro grandes elementos: água, terra, fogo e ar.
Ele é composto dos elementos ar sobre água com predominância do ar o que indica renovação dos obstáculos.
Rege Órgão sexual feminino, ossos e dentes.
Cuidado com doenças de coração, nervos, pressão alta e rins.
Seus pontos vulneráveis são os rins, a coluna e as pernas.
Corresponde ao ponto cardeal Norte.
Odi é um Odu feminino e é filho de Orunmilá e Ologbara.
Seu nome significa duas nádegas que nasceu dos órgãos genitais de onde Odi, nasceu.
A cor preta, as galinhas, as baleias, a cabaça, o carma e os íbis (caracóis) e todos os peixes do mar lhe pertencem.
Esse Odu traz problemas com egum, antepassados, ancestrais, enfermidades graves e pânico quando ele está no lado negativo da cabala.
O Odi é um dos mais ricos.
É um signo feminino. Sua representação esotérica é um círculo dividido ao meio por uma linha vertical significando duas nádegas ou ainda o órgão sexual feminino que provém de Osá Meji. Essa palavra nádega é um eufemismo que pretende somente designar a feiúra e as impurezas do órgão sexual feminino. Dizem ser este signo que incita o ser humano a copular e é por esta razão que encontramos uma estreita correspondência entre Odi Meji e as “Kenesis”, considerada a impureza das mulheres. Proporciona ainda uma tendência natural à prática da feitiçaria.
Ele fala das mulheres em geral e foi sobre este signo que apareceram na Terra as mulheres, os rios, cujas margens tem a forma e a aparência de lábios, as nádegas e o costume de sentarmos sobre elas.
Este signo ensinou os homens o uso de deitarem-se, indiferentemente virados para a direita ou para a esquerda.
Ele ocupa-se dos partos efetuados com a parturiente de cócoras e preside ainda, o nascimento de gêmeos e de todas as espécies de macacos.

Regente
Obaluaê, com influências de Omolu, Exú, Oxossi ou Ossanhe, Oxalufã.

Quem fala por esse Odu
Omolu, Exú, Obatalá, Ogun e Age.

Elementos
Terra

Cores
O negro, ou a mistura de qualquer outra cor.

Positivo
Odi quando está no lado positivo é só lhe dar caminho, fazer presentes dentro de um alguidar ou balaio com tudo em sete elementos, para ele trazer sorte, vitória no amor, vitória em trabalhos, vencer uma grande demanda.
Odi pode apontar: pessoa importante, influência em todas as camadas sociais, viagens com propósito de lucros, sorte em qualquer tipo de jogo (embora efêmera), heranças, bons empregos, conquistas de todos os tipos, bom gosto e boa aparência.
Traz muita sorte em qualquer tipo de jogo, herança, empregos, conquista de todos os tipos, sorte não duradoura.
Apesar de Odi ocasionar desgostos, banalidades e imoralidades, ele também proporciona muita sorte em qualquer tipo de jogo, heranças, conquistas de todos os tipos, mas a sorte nunca é duradoura porque se cerca de influências negativas.
Para que essas pessoas tenham uma direção adequada na vida, é necessário constantemente fazer ebó para se livrar das negatividades. Um ebó grande só deverá ser feito uma vez ao ano se houver uma situação ruim muito grande.
As pessoas regidas por esse Odu são pessoas importantes e influentes em todas as camadas sociais (da mais alta a mais baixa), gostam de todos os tipos de prazeres da vida, principalmente os do sexo. São também ambiciosas, pensam em grandes lucros, sonham demais com grandezas, viagens para receber lucros elevados, enfim vivem sempre sonhando com uma melhora repentina de vida, mas, infelizmente fracassam em quase tudo, principalmente no amor.
Por não saberem agir devidamente nas ocasiões precisas, dependem sempre de muitos conselhos e orientações.
Quando é uma mulher regida por este Odu, na maioria das vezes, perde a virgindade cedo e é muito difícil permanecer com um só homem e também não se prende ao lar e aos filhos.

Negativo
Este Odu traz prisão, condenação, roubo, abandono, prejuízo, seqüelas advindas de acidente, moléstia, traição, perfídia, possessão de maus espíritos, mulher de maus hábitos e vida sexual desregrada, homossexualismo (só masculino), caminhos fechados, imobilidade ou dificuldade de ação.
Esse Odú traz dificuldades, caminhos fechados, aviso rápido, recompensa, bem estar futuro de forma espantosa.
Quando o fracasso ocorre, culminam todos os tipos de perturbações até pelas coisas mais simples e daí passam a viver cercados por influências negativas, pois não sabem perder qualquer um dos seus sonhos e oportunidades.
Não têm sorte no amor.
Para as pessoas desse Odu, que já nasceram doentes ou que venham a adoecer depois, sempre sofrem risco de morte.
Pode trazer muita dificuldade, caminhos fechados, fracasso na vida conjugal e no trabalho, aliás, em tudo que se propõe a fazer, destruição, perseguição, vida complicada, vive em eterno começar, ganha rápido e perde mais rápido ainda, pois nunca consegue fixar-se com êxito..
Odi Meji indica aprisionamento, possessão demoníaca, prejuízos de toda ordem, roubo, seqüelas advindas de acidente ou de enfermidades, sendo, portanto, portador de mensagens quase sempre ruins. É um signo malvado (muito ruim) e responde não.
Representa caminhos fechados e, por vezes, estados de gravidez.
Seu surgimento em questões sobre se uma mulher está grávida ou não representa resposta afirmativa.
Este Odu representa caminhos perdidos, discórdia, guerra na vida da pessoa, desgraça de modo geral, traição, problemas com drogas.
Quando ele está negativo tem que se fazer um ebó com tudo em sete.
Grandes desfechos poderão ser contornados ou aliviados através de ebó, rezas, banhos, agrados, obrigações e um bom comportamento para com os Orixás.
Esse signo traz muitas perturbações, fofocas, brigas, pancadarias, roubos e até perigo de prisão.

Atenção
Para positivar o Odu Odi através de banho, use folhas de mamona, sálvia e orobô ralado.
Aliás, corre uma lenda que para ser zelador de santo, tem que ter Odi no seu conjunto Odúnico.
Isto é contado num dos itans de ifá e no Omerê de Logun também.
Representa uma porta fechada, um círculo mágico, um tabu, limitação, obstrução e aprisionamento.
Obaluaê, detentor dos segredos da morte, da cura e das doenças sem deixar de dizer, o Senhor da vida, é a própria terra que recebe nossos corpos para que vire pó.
Nos sete primeiros dias do mês de agosto são feitas rezas aos pés desse Orixá que fica ornamentado no centro do barracão (no Axé) coberto de palha da costa e com deburu aos seus pés.
Debaixo da saia de Obaluaiê ficam sete panelinhas de barro com mel e uma moeda para o Odu Odi.
O Odu Odi vem por três caminhos, e antes de se fazer um ebó tem que se verificar por qual caminho ele vem. Os caminhos são a água doce, a água salgada e a terra (estradas).
Quando ele vem por água doce despacha-se no mar, pois todo o rio vai para o mar, quando ele vem por terra despacha-se na encruza ou praça.
Para despachar no mar, procura-se uma praia com bastantes pedras, pois Odi tem pavor delas.
Todas as vezes que for presentear Odí, este deverá ser entregue numa encruzilhada aberta, de barro, do lado esquerdo, ou num caminho de mato ou praça.
Fazer Oriki de Exu e, na volta, não esquecer de dar comida a Oxun e Obaluaê.
Quando se positiva o Odu Odi de uma forma eficiente, tanto no campo espiritual, mental, emocional e físico, pode-se ter uma boa resposta para isso.

Personalidade
As pessoas do Odu Odi quando estão do lado bom, elas são pessoas alegres, satisfeitas, contentes, são amigas, prestativas, caridosas, são pessoas que procuram obter sucesso no que fazem, possui muita sorte, fartura, dinheiro, grandes amores, adoram sexo, gostam de organizar a área financeira e aperfeiçoar formas de gerar rendimentos, possuem muita fé na vida.
Pessoas com esse Odu são ambiciosas e costumam ser bem sucedidas na sua profissão, mas a indecisão as leva a não concluir muitos dos seus projetos.
Quando a fé as impulsiona, porém, ultrapassam todas as barreiras. Sonham com o poder e adoram se divertir, às vezes provocam enormes confusões.
As pessoas nascidas sob este signo são perseverantes, duras, inflexíveis, não crêem em nada e nem em ninguém, mas, podem facilmente ser levadas por superstições tolas, que nem sempre são aceitas pelos demais.
São dotados de muita inteligência e excelente memória, assimilam com facilidade tudo o que se proponham a aprender, negando-se, entretanto, a transmitir seus conhecimentos, preferindo antes, usa-las como instrumento de manifestação de tantos quanto deles dependerem.
Elas não temem a morte.
Apesar de humildes são pessoas influentes, gostam dos prazeres, são ambiciosas, pensam em grandes lucros e viagens.
Estão cercados por invejas, olho grande e traições.
Essas pessoas devem ser bem tratadas espiritualmente caso contrário, tem futuro incerto e normalmente sofrem por sete anos consecutivos.
São pessoas humildes, forte em personalidade e forte tendência para o envolvimento com coisas ocultas e misteriosas se forem bem preparados espiritualmente e podem ser grandes feiticeiros, pois possuem força para isso.
No amor são desconfiados e ciumentos, mas, muito zelosos do objeto dos seus sentimentos.
Adoram viver isolados e suas ações contribuem efetivamente para que isto ocorra independente de sua vontade.
São pessoas comunicativas e fácil amizade, são sempre traídos por amigos, são sentimentais, tem forte poder intuitivo e psíquico. Quando espiritualizadas atingem posição de destaque na vida. Fora isso levam a vida em duras penas, tendo dificuldade de conviver com os impulsos. São desconfiados e ciumentos, possuem sorte para o jogo. Gostam de adivinhar

Uma das lendas desse Odu
Conta-se a história de um homem que era escravo e um dia se viu abraçado em um eminente perigo. Este homem foi amarrado por dele terem dito que cometera um crime. Segundo as leis daquela terra, botaram o homem num caixão grande todo pregado e deitaram a caixa rio abaixo. Por uma dessas coincidências que sempre acontecem no  destino* das criaturas, a correnteza lançou o caixão na praia duma cidade cujo o rei estava morto e enterrado, e onde os súditos ainda estavam guardando luto.
Acontece que ali haviam muitos príncipes com direito a sucessão imediata, mas sobre todos pesava alguma grave acusação, de forma que não se sabia como haviam de decidir o complicadíssimo problema da sucessão do rei morto, como nunca jamais acontecera na história do dito povo. Depois de muito cogitar do assunto, foi decidido que marcassem um prazo para surgisse uma pessoa estranha àquela nação que assumiria o governo e seria o rei daquela terra daí em diante.
Dito e feito, esse homem, que tinha antes do cativeiro feito uma oferenda que o babalaô determinara, veio ele se esbarrar, dentro do caixão, na praia de ibim, onde o acolheram e imediatamente o elegeram rei daquele povo. Assim ficou ele sendo o venturoso rei de uma nação . Onde só o destino (odú) poderia dar tamanha sorte.